Uma carta pra dizer o óbvio.

Deixa que eu não pense que foi por falta de tentativa. Ah! Eu insisti tanto... Mais do que meu orgulho 

permitiria. Na verdade eu nem sei / nunca soube o que era ser ‘orgulhosa’ com você.  Foi quando eu

aprendi que no amor não cabe isso. (Ah... não ser naquele momento naquele exato momento em que eu te disse adeus, chorei e virei as costas pra um amor que não iria passar  nunca. Hoje sei).  Que 

pena... ‘agora é tarde’ você me diz todo tempo.  Quisera eu estar quebrando a testa na sua parede mil 

vezes, e esperando notícias suas quando você poderia me dar, e ainda esperar algum momento de 

sacrifico seu, só pra me agradar, e sentir com sua presença, que não havia nenhum problema no 

mundo porque você tava ali. E ninguém que esteja lendo isso venha me dizer que é paixão, porque o 

prazo de paixão já passou. 
O que eu sinto é um ELO. O que eu sinto é muito bom pra que 

eu possa aceitar a desistência. É um exagero que não passa.(Apesar de ter ouvindo uns 'não' sem que 

eu acreditasse neles).
Pode ser que um dia eu encontre outro caminho. Por enquanto vou lembrando do que por hora, me 

faz bem e viva: a Ilusão que fomos, ‘yo y tu’.


Comentários

Ainss!!!! e quem foi o maldito q inventou essa palavra amor??? =/

Postagens mais visitadas