Ao amor humano.



Eu tenho coisas de gente normal e o normal é ruim. Por isso, não tenha platonice. Não seja mais um fraco. Eu não pertenço à você. Eu te envolvo e te trago dor. Eu consigo te encantar. E depois retirar tudo o que sou de ti, só pra te ver sofrer.

Eu choro por passados não superados. Eu sou seu melhor amor, sua pior inimiga. Eu excluo você e, faço questão que não me tenha mais. Eu faço a diferença, eu caio fora. Eu te encho de ar, de carinhos e carícias. Eu te jogo palavras duras. Eu te faço melhor, eu te faço ir ao poço. Te vejo nos piores vícios, te faço crescer. Eu te dou imensa medida de amor, eu te sufoco de paixão, e depois, de saudade. Eu te deixo na falta, eu te abandono. Você não pode querer ser meu porque eu te dominarei. Eu termino os ciclos rápidos e logo faço outros. Te deixo marcas de intensidade, te deixo ternuras, músicas e poemas. Vou embora, e te deixo um pouco do meu coração. SE te faço mal, é porque te amei.


Comentários

Raiany Araújo disse…
"Bambeia,cambaleia.É dura na queda
Custa a cair em si.Largou família,
bebeu veneno
E vai morrer de rir..."
Como ela pode poetizar uma alma tão sacana?

Postagens mais visitadas