PÉS SUJOS.


Ela anda tro-pe-çan-do pelas ruas do passado,
caminhando em círculos no presente.
Quando o peso da realidade tenta impedir que se levante, 
ela sente que veio ao mundo meio danificada. 
Queria era sair correndo e dançando, queria andar de bicicleta, queria percorrer 
os caminhos incertos, a tormenta ou o festim.

Mas não queria ficar parada.

Queria deixar as aflições em um lugar tão longe 
(que não conseguisse acompanhar seus passos!).
Ou queria mesmo que o mundo se desintegrasse todo!
e assim teria alívio.
Ela-caminha-menos-do-que-gostaria-e-seus-olhos-GRANDES-enxergam-muito-mais-do-que-podem-suportar. 
Uma decisão, um relógio, uma bomba. Ela tem nas mãos. Um minuto para o fim do mundo.
Cabelos voando de tanta veloci- 
felici- dade. 

Comentários

Sensibilidade e interpretação de alguém!
Obrigada Preta,
Texto lindo!

Postagens mais visitadas